Como trabalhar na Europa: primeiros passos para conseguir sua vaga

Em busca de qualidade de vida, experiência profissional ou até mesmo uma vivência no exterior, muitos brasileiros sonham em trabalhar na Europa. Mas qual é o caminho para conseguir um emprego em um país europeu? Neste artigo, vamos falar sobre o que é preciso para trabalhar na Europa, as profissões com melhores ofertas, o mercado de trabalho atual e muito mais.

Caso você tenha cidadania europeia, é muito importante colocar essa informação no seu currículo. Se não tiver, vai precisar mostrar um grande diferencial para que a empresa queira te contratar e ajudá-lo a tirar o visto de trabalho.

Depois de atualizar o seu currículo e perfil no LinkedIn, fique atento às oportunidades de trabalho nos diversos sites de emprego disponíveis, siga as empresas que gostaria de trabalhar no LinkedIn e também procure os programas governamentais de incentivo para trabalhar no país desejado.

Como fazer intercâmbio de trabalho na Europa?

O intercâmbio de trabalho na Europa é buscado principalmente por profissionais que desejam obter uma especialização ou dar um upgrade no currículo. Também existem aqueles que querem apenas ter uma experiência nova no período de férias, ou unir trabalho e estudo na mesma oportunidade.

Você pode realizar o intercâmbio de trabalho com a ajuda de agências de intercâmbio ou através de iniciativas individuais. Existem programas de curta e longa duração que podem ser estágios, trabalhos temporários, vagas de meio período para estudantes, trabalho de férias, voluntários ou até programas de Au Pair, voltados para pessoas de 18 a 30 anos.

Como encontrar vagas na Europa para brasileiros?

Existem diversas oportunidades de trabalho para brasileiros na Europa, seja em áreas mais especializadas ou em trabalhos mais informais, que não exigem formação acadêmica. Se você quer continuar na sua área, é muito importante que seja qualificado e se destaque no que faz.

Sites de emprego na Europa

Os melhores meios para encontrar emprego para trabalhar na Europa são através do LinkedIn ou pelos sites de recrutamento. Alguns sites confiáveis que você pode usar para buscar vagas são: Indeed, Hays, Randstad, Adecco e Glassdoor.

O Facebook também pode ajudar

Você ainda pode encontrar trabalhos para brasileiros na Europa através de grupos do Facebook. Pesquise por grupos dos países que você tem interesse em trabalhar como “Trabalhos em Portugal”, “Empregos para brasileiros na Espanha”, etc.

É muito importante pesquisar sobre a empresa na qual vai se candidatar e nunca mande documentos pessoais com seus dados sem estar certo de que a vaga e a empresa de fato existem.

Não é um processo tão fácil encontrar vagas para brasileiros na Europa, mas também não é impossível. Caso você tenha persistência e uma boa formação, tem chances de conseguir sua vaga.

Entenda o mercado de trabalho europeu

Taxas de emprego

De acordo com o Eurostat, Gabinete de Estatísticas da União Europeia, o mercado de trabalho de toda a União Europeia foi afetado pela pandemia COVID-19.

A taxa de emprego de pessoas entre 20 e 64 anos do quarto trimestre de 2020, era de 72,6%, que está abaixo dos níveis anteriores à crise da pandemia (73,2% no quarto trimestre de 2019), mas acima do segundo trimestre de 2020 (71,7%).

Já outras faixas etárias, como os jovens de 15 a 24 anos, tiveram uma queda maior no emprego durante a crise. A taxa de emprego dos jovens diminuiu de 33,5% no quarto trimestre de 2019 para 33,3% no primeiro trimestre de 2020 e caiu para 30,5% no segundo trimestre de 2020. Porém, aumentou e se estabilizou em 31,1% no terceiro e quarto trimestre de 2020.

Mercado de trabalho

Os dados atuais do Barômetro do Mercado de Trabalho Europeu – indicador mensal com base em pesquisas das agências de emprego locais ou regionais em 16 serviços públicos de emprego – estão mais otimistas do que as estatísticas de emprego.

O Barômetro está em alta e em abril de 2021 atingiu 101.2 pontos, demonstrando perspectivas positivas sobre a evolução do mercado de trabalho europeu. O indicador subiu 0.5 pontos em abril, mostrando uma estagnação do desenvolvimento.

De acordo com a pesquisa, as perspectivas do mercado de trabalho nos diferentes países tiveram grandes oscilações durante a crise do Covid-19, mas não demonstram mais diferenças tão acentuadas, como em países com mais dificuldades para se recuperar.

Existem sinais de melhora tanto em relação ao crescimento de empregos quanto à diminuição do desemprego. Os países participantes da pesquisa incluem Áustria, Bulgária, Chipre, República Checa, Dinamarca, Bélgica-DG, Bélgica-Flandres, Alemanha, Islândia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal e Bélgica-Valônia.

Economia europeia

As notícias sobre a economia na zona do euro não são tão boas, de acordo com os dados do primeiro trimestre de 2021. O avanço lento da vacinação no bloco e os longos lockdowns para conter a pandemia contribuíram para a queda da economia.

Segundo o Eurostat, o Produto Interno Bruto (PIB) dos 19 países da União Europeia encolheu 0,6% no primeiro trimestre de 2021, comparado com o trimestre anterior, quando o recuo foi de 0,7%. Portanto, esse foi o segundo trimestre seguido de queda, configurando um cenário de recessão.

A queda ainda foi menor do que era esperado pelos economistas, que seria de 1%. Mas, está longe de caracterizar uma recuperação econômica como está ocorrendo na China e Estados Unidos.

Mercado de trabalho feminino na Europa

Na Europa, os países onde as mulheres são mais respeitadas e têm mais igualdade na Europa são:

  • Suécia;
  • Dinamarca;
  • França;
  • Finlândia;
  • Holanda.

Em muitos países europeus as mulheres ainda ganham menos que os homens. A desigualdade salarial é mais sentida na Estônia, Alemanha, República Tcheca e Reino Unido. Já os países com melhor igualdade salarial de acordo com as estatísticas mais recentes da Eurostat (de 2018), são: Romênia, Luxemburgo, Itália e Bélgica.

Como conseguir trabalho na Europa

Melhores países para trabalhar na Europa

Alguns países se destacam quando falamos em trabalhar na Europa. Seja por sua oferta de trabalho ou condições que são mais favoráveis para nós brasileiros. Veja quais são a seguir.

Luxemburgo

Luxemburgo é um país pequeno, mas que possui um dos maiores salários mínimos do mundo e o melhor da União Europeia. O salário mínimo atual do país é de 2.141,99€. Vale ressaltar que este é o valor pago para pessoas não qualificadas e quem tem formação superior ganha no mínimo 2.570,39€ por mês.

Apesar de ter como idiomas locais alemão, francês e luxemburguês, boa parte da população fala inglês e existem vagas em multinacionais que vão exigir apenas fluência na língua inglesa.

Luxemburgo também oferece uma boa localização, fazendo fronteira com França, Bélgica e Alemanha, é membro do Espaço Schengen e possui boas oportunidades de trabalho.

Suíça

A Suíça é muito procurada quando falamos em trabalhar na Europa, seja por brasileiros ou pelos próprios europeus. O país possui salários altos, mas não têm um salário mínimo determinado por lei.

Porém, alguns cantões (estados) estipulam que o valor mínimo que deve ser pago é de 22,61 francos suíços por hora (totalizando em 3.617,60 CHF por mês, que equivale a 3.300,28€ mensais).

A Suíça é um dos lugares que está frequentemente nas listas de melhores países para trabalhar na Europa. Ela não faz parte da União Europeia e possui um alto custo de vida. Portanto, um salário considerado bom para morar na Suíça é de 6.000 francos suíços por mês.

Veja mais sobre empregos na Suíça.

Holanda – Países Baixos

A Holanda é considerada um dos melhores lugares para morar e trabalhar na Europa. Um dos motivos é que trata-se de um país multicultural, especialmente quando falamos de Amsterdam, e por isso, é possível conseguir um emprego apenas falando inglês. Além disso, possui um bom mercado de trabalho.

Morar na Holanda é considerado algo atraente para a maior parte das pessoas. O país faz parte da União Europeia e o salário mínimo é de 1.653,60€ por mês, para trabalhadores acima de 21 anos.

Descubra como é o custo de vida na Holanda.

Bélgica

A Bélgica oferece muitas oportunidades de trabalho, especialmente para quem domina outros idiomas. Seu salário mínimo é de 1.593,81€ por mês. Porém, profissionais qualificados podem ganhar em média 3.500,00€ mensais.

O país está na zona do euro e abriga a sede da Comissão Europeia (União Europeia). Assim como a Holanda, também é considerado um país multicultural, que recebe muitos estrangeiros. Bruxelas é sua capital e principal cidade. Mas, existem outras opções para morar e trabalhar na Bélgica como Gante, Antuérpia e Bruges.

Alemanha

A Alemanha possui o maior PIB da Europa e é considerada a grande potência do continente. O país abriga as principais indústrias e empresas e consequentemente, possui muita oferta de empregos.

O salário mínimo da Alemanha é de 1.5,00€ mensais. As cidades consideradas como as melhores para trabalhar no país são Munique, Berlim, Frankfurt, Hamburg, Düsseldorf, Stuttgart e Colônia

Confira um guia completo sobre trabalhar na Alemanha.

Inglaterra

A Inglaterra também está entre os países mais ricos da Europa e um dos locais com mais oportunidades de trabalho. Com diversas indústrias, a capital Londres é um dos mais relevantes centros financeiros do mundo.

Na Inglaterra, o salário mínimo é de 8,91 libras por hora (aproximadamente 1.425,60 libras por mês). O país deixou de fazer parte da União Europeia em janeiro de 2020. Por isso, é preciso ter visto de trabalho tanto os profissionais brasileiros, quanto os europeus.

Londres, Birmingham, Manchester e Leeds são consideradas as melhores cidades para trabalhar na Inglaterra .

Áreas com mais oportunidades de trabalho na Europa

Uma das áreas que mais empregam estrangeiros na Europa é Tecnologia. Portanto, se você for desta área, não terá problemas para conseguir trabalhar na Europa. Os Engenheiros civis, profissionais de saúde, marketing e designers também costumam ter boas oportunidades.

Mas, existem algumas áreas específicas, quando falamos de empregos para brasileiros, nas quais existem muitas oportunidades de trabalho. Veja a seguir quais são.

Au pair

Essa é uma das funções mais simples para conseguir um visto de trabalho. Porém, é voltada para um grupo restrito, de 18 a 30 anos.

Os acordos normalmente são feitos com as famílias e o salário depende da quantidade de crianças que a Au pair vai cuidar, se vai morar na mesma casa, entre outros fatores. Normalmente, paga-se 9 euros por hora, mas também pode ser pago um valor por semana.

Para essa função, é importante saber o idioma local e ter experiência prévia com crianças.

Estética

Cabeleireiros, manicures e massagistas brasileiros são procurados na Europa tanto pelos próprios brasileiros que vivem lá quanto pelos europeus. A estética é muito forte no Brasil e costumamos nos destacar nessa área em qualquer país.

Porém, é importante ter experiência e qualificação. Se você já trabalha na área, é interessante fazer um curso profissionalizante para que possa comprovar que é qualificado para a função.

Gastronomia

Os chefes de cozinha não costumam ter problemas para conseguir trabalhar na Europa, pois existe uma procura muito grande por esses profissionais. Garçons, baristas e atendentes também são bastante procurados.

Em alguns casos, não é necessário ter experiência para desempenhar essas funções auxiliares em restaurantes.

Construção

Reformas e construções são constantes na Europa e em todos os lugares vemos obras acontecendo. Por isso, funções como encanadores, pedreiros, eletricistas, engenheiros e até mesmo motoristas de caminhão, são bastante requisitadas.

É claro que isso pode variar de acordo com o país, mas, em geral, busca-se muito por esses profissionais. Os pré-requisitos para trabalhar nessa área também podem ser diferentes de acordo com o país.

Em alguns casos, será necessário fazer um curso e alguns testes para se habilitar a trabalhar na área. Os salários podem variar bastante, mas costumam ser funções bem pagas.

Saúde

É comum encontrar enfermeiros e técnicos estrangeiros nos países europeus. Também existem muitas vagas para médicos e dentistas disponíveis na Europa. Porém, normalmente, é necessário validar seu diploma em alguma universidade do país. O que pode ser um processo um pouco burocrático e longo.

Assim como no Brasil, costuma-se ganhar mais trabalhando em um consultório próprio. Porém, é preciso considerar gastos como aluguel, equipamentos, ferramentas de trabalho, entre outros. Também é possível trabalhar para o Estado e para hospitais particulares.

Tecnologia da Informação

Esta é a área que mais contrata na Europa, independente da nacionalidade do estrangeiro. Para exercer essa função é preciso ter diploma e experiência, além de falar ao menos inglês.

As profissões mais procuradas na área são: programador, desenvolvedor, analista de dados, cientista de dados e especialista de integração. Os salários costumam ser bem razoáveis, dependendo da função e do país.

Vale a pena trabalhar na Europa

Como conseguir visto de trabalho na Europa?

Para conseguir um visto de trabalho na Europa você deve primeiro encontrar um emprego. Com um contrato de trabalho em mãos, precisa agendar um atendimento no Consulado do país no Brasil e solicitar o seu visto de trabalho, junto com os outros documentos exigidos.

Cada consulado possui protocolos e taxas diferentes para solicitar o visto de trabalho.

Quem tem cidadania europeia precisa de visto para trabalhar?

Não, quem tem cidadania europeia não precisa do visto para trabalhar na Europa. Este é um dos benefícios de obter a cidadania europeia, que garante o direito de estudar, trabalhar e fixar residência em qualquer território que faça parte da União Europeia.

Com a dupla cidadania europeia, você terá os mesmos direitos de qualquer pessoa que tenha nascido no continente. Por isso, se você tem direito a solicitar a cidadania e pretende viver em um país europeu, vale a pena correr atrás e passar por todo processo burocrático.

Estudar e trabalhar na Europa

A maioria dos países europeus permite que os estudantes internacionais trabalhem fora do seu horário de aulas, normalmente 20 horas semanais (part-time), mas pode variar até tempo integral (full-time).

Um dos melhores países para estudar inglês e trabalhar é a Irlanda, que possui mais facilidades para estrangeiros conseguirem estudar e trabalhar no país. Portugal e Malta também permite que os seus estudantes trabalhem, mas é preciso verificar as condições de cada país.

Trabalhar na Europa nas férias

Outra opção para quem não quer largar tudo de uma vez e quer fazer um teste para ver se gosta de morar fora, é trabalhar durante as férias. Durante o verão europeu, há mais ofertas de empregos de verão em hotéis, hostels, atrações turísticas, parques temáticos, etc.

Um bom site para conseguir empregos temporários é o Worldpackers. O site mostra opções de trabalhos em diversos países do mundo como Itália, Irlanda, Reino Unido, Holanda, Espanha, Malta, Alemanha, Portugal, França, Hungria, etc. Há possibilidade de trabalhar entre 8 dias até 12 semanas (3 meses).

As opções de trabalho oferecidas pela Worldpackers vão desde babá, ajudantes, recepcionistas de hostels, organização de festas em Ibiza, até trabalho em fazendas. A maioria dos trabalhos são voluntários, apenas com moradia garantida e pelo menos uma refeição.

É uma ótima opção para quem quer ter uma experiência internacional durante suas férias e sem a necessidade de visto (para estadas na Europa de até 90 dias).

Vale a pena trabalhar na Europa?

Sim, vale a pena, mas depende do seu objetivo.

Por que eu digo isso? Pois a Europa não é um lugar para você trabalhar e ficar rico ou mandar dinheiro para a família que ficou no Brasil. Se você busca qualidade de vida, um emprego decente e um bom lugar para morar, com certeza vale a pena.

Mas, se o seu objetivo é ganhar dinheiro e juntar uma boa quantia, talvez os Estados Unidos sejam uma opção melhor. Para entender melhor essa diferença, sugiro a leitura do artigo Morar na Europa ou nos Estados Unidos, que pode ser útil.

Para concluir, se você está certo de que quer trabalhar na Europa, leia mais sobre o mercado de trabalho do país que pensa em morar, conheça custo de vida, salários, o clima e modo de vida do lugar, obtenha informações sobre visto para então, procurar sua sonhada vaga.

O seguro viagem é importante para quem vai morar e visitar a Europa

Se mudar e trabalhar na Europa está nos seus planos, saiba que o seguro viagem é fundamental. Para fazer a cotação do seu seguro de forma personalizada, recomendamos que você utilize o nosso comparador de seguro viagem. Ele apresenta planos das principais seguradoras do mercado e ainda garantimos os melhores preços aos leitores do Euro Dicas.

Fonte: https://www.eurodicas.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: