As 9 Estações de Metrô mais incríveis

Conheça as 9 estações de metrô mais incríveis do mundo. Com projetos arquitetônicos surpreendentes, algumas parecem verdadeiras galerias de arte

por Bruno Segadilha | fotos Shutterstock e Divulgação

 

Fulton Center

Nova York // Estados Unidos

Esta mistura de shopping e centro de transportes fica na esquina das ruas John e Fulton, um dos pontos mais importantes da ilha de Manhattan. Envolto em uma concha de vidro e aço, o Fulton Center abriga várias lojas e restaurantes e integra cinco linhas de metrô.

O projeto foi idealizado pelo arquiteto britânico Nicholas Grimsha e pelo escritório James Carpenter Design Associates. Devido à sua alta complexidade, demorou mais de dez anos para ficar pronto, sendo inaugurado apenas em 2014. A construção custou US$ 1,4 bilhão e incluiu a restauração do vizinho Corbin Building, um prédio histórico de 131 anos que se transformou em um anexo da estação.

 

Solna Centrum

Estocolmo // Suécia

Uma das mais movimentadas estações do metrô de Estocolmo, representa uma paisagem natural, com o verde da floresta e o vermelho de um brilhante pôr do sol, pintados em suas paredes. A obra foi concebida pelos artistas suecos Karl-Olov Björk e Anders Åberg e ganhou novos significados ao longo dos anos.

Logo depois de a estação ser inaugurada, em 1975, a dupla decidiu inserir novas figuras na floresta que eles haviam imaginado originalmente. Surgiam, assim, símbolos que ilustravam questões sociais da Suécia, como o despovoamento das áreas rurais e a sustentabilidade, o que deu a esse trabalho contornos políticos.

 

Formosa Boulevard

Kaohsiung // Taiwan

Considerada uma das mais bonitas do mundo, foi inaugurada em 2008 para os Jogos Mundiais de Taiwan. Seu nome é uma alusão ao carinhoso apelido pelo qual a região sempre foi conhecida: Ilha Formosa. O destaque ali é a bela Dome of Light.

Trata-se de uma enorme cúpula de vidro com 30 metros de diâmetro e 2.180 m² de área, o que faz dela o maior vitrô do mundo. Projetada pelo artista italiano Narcissus Quagliata, a obra é composta de 4.500 painéis de vidro colorido que mudam a iluminação do local dependendo da hora e da incidência dos raios solares.

 

Staromestska

Praga // República Tcheca

Uma das primeiras estações de Praga, foi inaugurada em 1978, durante o governo soviético. Seu nome significa Cidade Velha, indicando que está localizada no Centro Histórico. É uma das regiões mais frequentadas por turistas, que vão visitar pontos como o Relógio Astronômico e a Ponte Carlos.

As paredes são compostas de peças que lembram brinquedos de encaixar e montar. Recentemente a Companhia de Transporte Público da cidade revelou que as cores de cada estação não foram escolhidas de forma aleatória: elas fazem alusão a momentos históricos do país. O vermelho da Staromestska, por exemplo, representa as revoltas e rebeliões pelas quais a República Tcheca já passou.

 

Cardeal Arcoverde

Rio De Janeiro // Brasil

Inaugurada em julho de 1998, foi a primeira do bairro de Copacabana. Levou mais de 20 anos para ser concluída. A obra, assinada pelo arquiteto João Batista Martinez Corrêa, tem seu projeto cromático desenvolvido pela artista Amélia Toledo.

A estação possui grande diversidade de cores, desde a sua fachada, recoberta de pastilhas de vidro que vão de tons azuis a violetas, até seu piso, que traz diversos tipos de granito, de tonalidades diversas. A área de embarque, com suas paredes de rocha, lembra uma enorme caverna.

 

Toledo

Nápoles // Itália

Em 2006 o metrô de Nápoles deu início ao projeto Napoli’s Art Stations. O objetivo era transformar as estações em galerias de arte democráticas e acessíveis ao público. Última a ser finalizada, em 2012, a estação de Toledo é apontada como a mais bonita de todas.

O teto das escadas é coberto por pequenos azulejos em vários tons de azul, dando a sensação de estarmos dentro de um oceano. A obra, cujos temas são a água e a luz, foi executada pelo escritório do arquiteto espanhol Oscar Tusquets Blanca, que também abriu uma segunda entrada para a estação em fevereiro de 2013.

 

Avtovo

São Petersburgo // Rússia

Um imenso e luxuoso palácio. Esta é a melhor definição para uma das mais antigas estações do metrô de São Petersburgo, aberta ao público em 1955. Projetada pelo arquiteto ucraniano Evgeny Levinson, conta com piso de mármore preto e branco, que forma mosaicos, além de colunas revestidas com vidro decorativo.

Os imponentes lustres no teto completam o visual dessa estação, considerada uma das mais luxuosas do mundo.

 

Burjuman

Dubai // Emirados Árabes

Uma das poucas estações subterrâneas do metrô de Dubai, foi inaugurada em setembro de 2009 e batizada inicialmente como Khalid Bin Al Waleed. Ganhou novo nome em 2012 graças ao famoso shopping BurJuman, que fica nos arredores e que, depois de uma reforma, passou a se integrar a ela.

Sua decoração remete ao fundo do mar, com destaque para os imponentes lustres em forma de águas-vivas, projeto da fábrica de vidros tcheca Lasvit. Os “tentáculos” foram feitos com gotas de vidro oco, sopradas manualmente com o material ainda quente e maleável.

 

Olaias

Lisboa // Portugal

Projetada pelo arquiteto português Tomás Taveira, é considerada uma das mais belas estações de metrô da Europa. Inaugurada em maio de 1998, a estação das Olaias é a mais famosa da linha vermelha graças ao seu teto geométrico, com azulejos de várias cores, mosaicos e colunas imponentes, resultado das intervenções plásticas de Pedro Cabrita Reis, Graça Pereira Coutinho, Pedro Calapez e Rui Sanchez.

Vários turistas compram o bilhete do metrô apenas para descer as escadarias e apreciar essa bela obra da arquitetura contemporânea.

Fonte: https://revistaazul.voeazul.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: