O Tabernáculo de Moisés – I

Vamos iniciar aqui empolgante série de estudos sobre “Os Mistérios do Tabernáculo de Moisés”. Espero poder contribuir em favor daqueles que amam a Palavra de Deus.

Introdução:

Na introdução deste estudo, centralizaremos toda a nossa atenção para o Tabernáculo de Moisés (hebraico mishkan, grego skene). É de suma importância que conheçamos o que Deus tem revelado para nós, pois “as coisas encobertas são para o Senhor, mas as reveladas são para nós e para nossos filhos para sempre, para cumprirmos todas as palavras dessa lei (Dt 29.29).

O estudo do Tabernáculo, da sua mobília, dos ritos, cerimônias, estruturas e sistema sacerdotal expõe diante de nós um rico e vasto campo de lições espirituais que podemos aproveitar em nossa carreira cristã e em nosso ministério (Ef 3.4-9).

Por aproximadamente 400 anos, toda a nação de Israel, viveu em função dessa estrutura, pois o Tabernáculo foi o “recurso visual” usado por Deus para instruir Israel. Deus revelou apenas a “sombra” de suas verdades eternas, pois é preciso seguir o curso da sombra em contraste com a luz para que se chegue à “substância” (Hb 10.1)

1. Tipos ou sombras: o tipo bíblico é uma representação “preordenada” pela qual pessoas, eventos e instituições do Antigo Testamento aparecem prefigurados no Novo Testamento (Hb 8.5).

A Bíblia utiliza diversas palavras para tipos, como: sinal (Mt 12.39); figura (1 Co 10.11); forma (Rm 6.17); alegoria (Hb 9.9); símbolos (Lc 24.27).

2. Antítipos ou sombras: verdadeira figura (1 Pe 3.21); mesma imagem (Hb 10.1); coisas celestiais (Hb 9.23); verdadeiro (Hb 9.24) aparecem sempre no Novo Testamento.

Características dos tipos e antítipos

1. O tipo é o objeto da lição, a revelação temporária de uma pessoa, um evento ou instituição vindoura. O antítipo é o cumprimento daquilo que havia sido predito (Gl 4.4).

1 -PRINCÍPIOS DA TIPOLOGIA

2. O tipo precisa ser profético em todos os pontos de semelhanças com o antítipo e precisa verdadeiramente prefigurar as coisas vindouras (Rm 5.14; Jo 3.14).

3. O tipo é sempre terrestre, enquanto o antítipo pode ser tanto terrestre como celestial (Hb 8.5, 9.24).

4. O tipo e o antítipo necessitam ser preordenados como parte de um mesmo plano divino, eles não podem ser algo escolhido pelo homem (2 Tm 3.16).

5. A Bíblia é única autoridade do tipo e antítipo e da sua aplicação espiritual (1 Co 2.13).

A utilidade dos tipos

É um dos mais interessantes, empolgantes e proveitosos estudos para a vida do salvo em Cristo Jesus, pois a sua utilidade é ilustrar e revelar a obra redentora do Senhor Jesus Cristo, o caráter da sua igreja, a vida cristã e as Doutrinas Fundamentais do Cristianismo (Sl 119.18).

O sistema mosaico, por exemplo, foi como um “jardim de infância”, onde o povo de Deus foi educado nos ensinamentos divinos, aprendendo pelo “visual” as realidades futuras (Cl 2.17).

As variedades dos tipos

1. Tipos humanos de Jesus: Adão (Rm 5.14c); Abel (Gn 4.1-11); Melquisedeque (Hb 5.6-10); Isaque (Gl 4.23,28); José (Gn 37 a 50); Moisés (Dt 33.1); Boaz (Rt 2 a 4); Davi (1 Sm 16.1,12,13); Jonas (Mt 12.38-41); Benjamim (Gn 35.16-19); Arão (Hb 7.14).

2. Tipos não humanos de Jesus: luz (Gn 1.3-5); arca de Noé (Gn 6,7,8); o carneiro (Gn 22.13); a escada de Jacó (Gn 28.10-17); o cordeiro pascoal (Êx 12.3-14); a rocha de Horebe (Êx 17.6); o Tabernáculo com todos os seus móveis e utensílios (Êx 25 a 27) e os animais que foram sacrificados no Antigo Testamento (Lv 1 a 7).

3. Tipos de eventos: Israel em sua libertação do Egito (Êx 12.37); a caminhada pelo deserto e a entrada em Canaã; a maneira como a serpente foi levantada no deserto (Jo 3.14); o sacrifício de Isaque no Monte Moriá (Jo 8.56); o arrebatamento de Enoque (Hb 11.5) e de Elias (2 Rs 2.11).

4. Tipos de rituais: o dia da expiação, no Antigo Testamento, com derramamento de sangue – as ofertas: o holocausto; a pacífica; pelo pecado; pela culpa – e sem sangue: as ofertas de manjares (1 Pe 1.19).

5. Tipos da igreja: a noiva Eva (Gn 2.18-24); Rebeca (Gn 24); Raquel (Jr 3.14); Asenate (Gn 41.45); Rute (Rt 1.16); Abigail (1 Sm 25.39-42); Sulamita (Ct 6.13).

6. Outros tipos da igreja: Israel (At 7.38); Enoque e Elias – igreja arrebatada (1 Co 15.52).

7. Tipos do Espírito Santo: nuvem de dia, coluna de fogo (Ex 13.21); Eliezer (Gn 24.4); pomba (Jo 1.32); as águas que fluíram da rocha (Nm 20.8).

8. Tipos de cargos ou ofícios: Davi – rei, sacerdote e profeta (At 13.22); Arão – sumo sacerdote (Hb 8.1); Melquisedeque – sacerdote do Altíssimo (Hb 5.6-10).

9. Tipos de Israel: Sara (Gn 17.15); Quetura– Israel restaurado (Gn 25.1); videira (Sl 80.8-16); figueira (Jr 24.1-10); oliveira (Rm 11.24).

10. Outros tipos: Caim – os que confiam em suas obras (Gn 4.3); Abel – os que confiam no seu sangue (Gn 4.4); Moisés e Elias – os santos ressuscitados (Lc 9.31); Noé – os restantes, que habitarão a nova terra (Gn 8.15); Abraão – os crentes que andam pela fé (Gn 12.1) e Deus, o Pai (Gn 24.4); Ló – os crentes que andam pela vista (Gn 13.10); Ismael – a semente carnal (Gn 16.15); Isaque – a semente espiritual (Gn 21.2,3); Esaú – a velha natureza (Gn 25.34); Jacó (Israel) – a nova natureza (Gn 32.28).

11. Tipos duplos: Duas aves – morte e ressurreição de Cristo (Lv 14.4-7); dois bodes – pecado perdoado e culpa removida (Lv 16.7-10); a vara transformada em serpente e a mão leprosa – poder de Deus sobre Satanás e poder sobre o pecado (Êx 4.2-7); o maná e o trigo – natureza divina e a natureza humana de Cristo (Js 5.10-12); as 12 pedras no meio do Jordão e as 12 pedras tiradas do Jordão – morrer e ressuscitar com Jesus Cristo (Js 4.3-9).

Continuará….

Pastor Antonio Romero Filho

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: