História Primeiro livro impresso do mundo – História e importância de sua criação

O primeiro livro impresso do mundo só foi possível graças ao alemão Gutenberg, cuja invenção provocou uma verdadeira revolução cultural.

O primeiro livro impresso do mundo foi a Bíblia em Latim, que continha 641 páginas. No entanto, isso só foi possível graças à invenção da prensa com tipos móveis, criada pelo alemão Johannes Gutenberg. Em suma, esse feito representou um avanço conquistado pelo homem durante a Idade Média, uma verdadeira revolução cultural no século XIV.

Ademais, a Bíblia em Latim foi forjada em letras em chumbo, que eram arranjadas manualmente. Enfim, cada detalhe foi minuciosamente desenvolvido, onde foram produzidos inicialmente, 300 exemplares do livro com estilo de escrita gótica.  No entanto, o trabalho com o primeiro livro que começou em 23 de fevereiro de 1455, levou 5 anos para ser finalizado.

Dessa forma, com o primeiro livro impresso do mundo, houve um avanço para a tecnologia moderna de impressão e tipografia. Então, com o passar do tempo, a técnica utilizada para a impressão foi aperfeiçoada e as peças se tornaram reutilizáveis, tornando a impressão em massa possível.

Atualmente, existem cerca de 60 Bíblias de Gutenberg espalhadas pelo mundo, sendo que 12 delas estão impressas em pergaminho, e as outras 48 em papel. Por fim, na Alemanha é possível encontrar alguns exemplares da Bíblia em Latim de Gutenberg em bibliotecas de universidades.

A evolução histórica do livro

Jornal da França

Inicialmente, antes do primeiro livro impresso do mundo, tabuletas de argila ou de pedra eram usadas como suporte para a escrita. Posteriormente, vieram os khartés, que consistia em um cilindro de papiro, que podia ser facilmente transportado. Porém, aos poucos, o papiro foi substituído pelo pergaminho, que era uma espécie de excerto de couro de boi ou de outros animais.

Por fim, o pergaminho foi substituído pelo códex, que era uma compilação de páginas, deixando o formato de rolo. Então, foi a partir do códice que foi possível pensar no livro como um objeto, ou seja, foi possível identificar a obra com o livro.

Mas, a evolução do livro não parou por aí, foi então que apareceram as margens, as páginas em branco, a pontuação no texto e o uso de letras maiúsculas. Além disso, foram surgindo outros elementos importantes, tais como: Índices, sumários e resumos. Assim como novos gêneros além do didático, como os florilégios (uma espécie de coletâneas de vários autores), textos auxiliares e textos eróticos. Por fim, surgem livros em língua vernacular, até então, apenas o latim era utilizado na literatura. E o pergaminho é finalmente substituído pelo papel.

O primeiro livro impresso do mundo: a invenção de Gutenberg

Medium

Mesmo com toda a evolução, a invenção mais importante criada foi a impressão, no século XIV. No princípio, a gravação do conteúdo de cada página do livro era feita em blocos de madeira. Então, os blocos eram mergulhados em tinta e depois transferido para o papel, produzindo, assim, várias cópias.

Em 1405, Pi Sheng, na China, criava a máquina impressora de tipos móveis. Entretanto, a tecnologia que iria provocar uma revolução cultural seria desenvolvida pelo alemão Johannes Gutenberg, anos depois. Dessa forma, em 1455, Gutenberg inventa a imprensa com tipos móveis reutilizáveis, o que possibilitou a criação do primeiro livro impresso do mundo, a Bíblia em Latim.

Reino de Clio

Com 641 páginas, para imprimir cada página da Bíblia, Gutenberg precisou forjar letras em chumbo e arranjá-las uma a uma manualmente, formando painéis com palavras e linhas. Em suma, foi uma tarefa muito trabalhosa, principalmente pela escolha do estilo de escrita gótica, onde era preciso deixar a página secar para depois imprimir no verso. Enfim, ao todo foram feitos 300 exemplares do livro, porém, nem todos os exemplares saíram iguais, pois alguns tinham as letras iniciais de cada capítulo pintadas cuidadosamente à mão.

Ademais, Gutenberg era filho de um alto funcionário da Casa da Moeda da Mogúncia (Alemanha), portanto, a ideia de criar a imprensa surgiu ao ver as moedas serem cunhadas. Seja como for, sua invenção é considerada como uma das mais importantes da história da humanidade. Isso, devido as grandes mudanças que provocou no mundo inteiro.

O primeiro livro impresso do mundo foi realmente a Bíblia?

Koreat

De acordo com a história o primeiro livro impresso do mundo foi a Bíblia em Latim, no entanto, recentemente uma nova informação surgiu. Segundo essa informação, o primeiro livro teria sido impresso na Coréia oitenta anos antes da impressão da Bíblia, no ano de 1377, pelos religiosos Seokcan e Daldam. Em suma, esses religiosos teriam utilizado tipos móveis metálicos para imprimir o Jikji, um trabalho do monge coreano Beagun Hawsang. Que teria copilado em dois volumes os ensinamentos do Seon (Zen budismo).

Portanto, na verdade, esse teria sido o primeiro livro impresso do mundo, produzido por tipos móveis. Dessa forma, o livro foi adicionado ao programa Memória do Mundo, em 2001, pela Coreia, contendo a seguinte descrição:

“Memória do Mundo > registro Patrimônio> Baegun hwasang chorok Buljo Jikji Simche Yojeol (vol.II)”, ou simplesmente Buljo Jikji Simche Yojeol, ou Jikji.

Por fim, o livro foi impresso no antigo templo Heungdeok-as, da cidade de Cheongju, com fundos doados pela sacerdotisa Myodeok. No entanto, o volume do Jikji que sobreviveu contém apenas 38 páginas e foi preservado na Biblioteca Nacional da França. Enquanto que a versão completa conta com 307 capítulos foi preservada em uma impressão em madeira na Biblioteca Nacional da Coreia.

Fonte: https://segredosdomundo.r7.com

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: