Ló: o exemplo das más escolhas

Ló e sua família

A história de Ló, trás consigo muitas outras histórias já conhecidas, tais como a história de Abraão e a origem dos Moabitas e Amomitas.

O nome Ló (ou Lot) significa em hebraico: “véu, cobertura”, trazendo a ideia de alguém que se mostra apresentável diante das outras pessoas.

Ló foi sobrinho de Abraão, pois o pai de Ló foi Harã, portanto ele neto de Terá.

Onde está a história de Ló na Bíblia?

A história de Ló, na Bíblia, pode ser encontrada em Gênesis, como já vimos neste estudo, mas encontramos referências de Ló e sua família no Novo Testamento também.

Pois, Jesus faz menção à destruição de Sodoma e Gomorra e o livramento de Ló e suas filhas no Evangelho de Lucas (Lc 17:28-32).

Semelhantemente, o apóstolo Pedro também fez menção, referências em geral sobre a destruição da cidade pecaminosa, em 2 Pedro 2:7.

Se quiser conhecer mais detalhes, veja a árvore genealógica de Ló abaixo:

genealogia de ló
Obs.: Sara, na verdade, era sobrinha de Abraão, filha de Harã ( Irmã de Ló), porém naquela época, a(o) sobrinha(a) era chamado de: ” minha irmã, filha do meu irmão ” A palavra sobrinha ou sobrinho, ainda não existia!

E o relato da história de Ló e sua família pode-se ler no primeiro livro da Bíblia Sagrada, ou seja, Gênesis.

Ló e Abraão moravam nas terras férteis da Mesopotâmia, em Ur.

Nessa época, Ur era uma cidade que adorava a deusa lua, no templo denominado de “Zigurate”.

Agora, abaixo, confira mais sobre a história de Ló.

História de Ló e Abraão

Segundo o relato de Gênesis, Capítulo 12, o Deus dos hebreus mandou que Abraão e Ló com suas famílias saíssem de Ur e se mudassem.

Havia muitas questões em volta da decisão da descendência de Sem em sair de Ur ou não, entre elas:

  • Abandonar o conforto e comodismo da estabilidade.
  • Deixar de ter casa fixa e passar a morar em tendas.
  • Estar sempre mudando pela necessidade de troca de fontes de água.

No início, a família de Ló e Abraão ficou pela cidade situada muitas milhas ao norte da Mesopotâmia. E partiram quando o pai de Ló – Harã – faleceu.

Assim também, seguiram pelos caminhos que conduziam até Canaã, fazendo tendas de pele de cabra, considerada grandes tendas negras.

Os irmãos ficaram ricos, pois possuíram muitas ovelhas e cabras. E viveram por algum tempo de forma nômade pela região.

Com o aumento do pasto, começaram a decorrer alguns episódios que estavam incomodando a população local:

  • O aumento de rebanho fazia com que o os animais comessem toda a grama verde muito rapidamente de onde eles passassem.
  • Gerava mais necessidade de água para eles.

Visto isso, Abraão decide conversar com Ló sobre o fato, e entrar em um acordo para que ambos seguissem caminhos diferentes.

A escolha sem direção

Assim, Ló teve a oportunidade dada pelo tio, de escolher primeiramente onde desejava ir, e Abraão seguiria um caminho contrário a este.

Ló muda-se para Sodoma e Gomorra

A decisão de Ló foi se mudar para Sodoma e Gomorra, por diversos motivos:

  • Eram próximas do Mar Morto.
  • Havia as campinas e planícies do Jordão para um bom pasto.
  • Teria o Vale de Sidim, descrito como um ambiente paradisíaco.
  • Era uma cidade muito grande, estima-se 80 mil pessoas, conclui-se então uma cidade com forte influencia populacional e econômica.

Certamente, analisando a região, percebemos que a escolha de Ló era uma decisão baseada em vantagens para si mesmo e seu rebanho.

De acordo com o que definiram, Ló e suas filhas, acompanhados pela sua esposa seguiram até Sodoma e moraram lá.

Estudo sobre a vida de Ló

No estudo sobre Ló, você entenderá que durante sua estadia na cidade, houve uma batalha feita pelos quatro reis da Mesopotâmia contra os reis de Sodoma.

Nesta guerra, ocorrida no Vale de Sidim, também relatada em Gênesis, no capítulo 14, ocorre a derrota dos reis de Sodoma, os quais fugiram e caíram nos poços mais fundos de Betume. (Gênesis 14:4; 8-10).

Os reis dos nortes – Quedorlaomer, Anrafel rei de Sinear, Arioque rei de Elasar e Tidal – que iniciaram o confronto.

Assim, o acordo era que pagassem os tributos por doze anos, contudo no décimo terceiro decidiram não pagar mais. Com isso, surge um confronto político.

Guerra de Sodoma e Gomorra e Ló

Com a guerra perdida e Ló sendo um cidadão com muitos bens e riquezas, logo então o grupo rival levou-o como cativeiro, sendo então prisioneiro de guerra.

Em seguida, a notícia chega até Abraão, seu tio, e a primeira tomada de decisão foi juntar um grupo de homens fortes e tentar recuperar o irmão com vida.

Assim, 318 homens se uniram, e foram até onde estava o cativeiro.

Então, eles tomaram Ló e recuperaram suas riquezas. E com isso, retornam também as suas filhas.

A destruição de Sodoma e Gomorra

Passado um tempo Abraão estava perto das Planícies do Jordão, quando Senhor Deus o avisou sobre a destruição da cidade de Sodoma e Gomorra.

Desde que soube, Abraão se encheu de temor pela vida de Ló e então pediu a Deus que o salvasse.

Todavia, naquele momento, Deus já havia enviado anjos até Ló para avisá-lo. Como relatado em Gênesis 18-19.

Ao portão da cidade, ou seja, no lugar onde se resolvia negócios, os anjos encontraram Ló e este os levou para sua casa.

Porém, os moradores da cidade pecaminosa, não ficaram satisfeitos, e então, bateram na porta da casa de Ló e imploraram que mandasse os visitantes embora.

Com a confusão que se estendeu, tentaram invadir sua casa, então os anjos o puxaram para dentro de seu lar e fecharam as portas, fazendo aqueles homem ficarem cegos (Gn 19:10-11)

Os anjos avisam Ló

Em seguida, os anjos avisaram sobre a situação: a cidade seria tomada por uma destruição e para poupar suas vidas, deveriam ir embora dali rapidamente.

Quando foi pela manhã, ao nascer do Sol o anjo colocou a família na estrada, em direção as montanhas, a fim de que fossem resguardados.

Nesse ínterim, a cidade estava com um Sol em cor de fogo, e caía chuva de enxofre do céu e todo o chão tremia. A família de Ló se colocou a correr para salvar-se.

Seja como for, a ordem do Deus dos hebreus era de que ao partir da cidade, a família em momento algum olhasse pra trás.

A estátua de sal

Ordem essa que não foi acatada pela esposa de Ló, que ao olhar para trás se tornou uma estátua de sal. Deixada no caminho, Ló e suas filhas partiram.

História de Ló e suas filhas

Então morou em uma caverna com as filhas.

Assim, um triste episódio é relatado na bíblia: as filhas, pensando na sobrevivência da linhagem de Ló, deitaram-se e tiveram relações sexuais com o pai alcoolizado de vinho.

Sua primeira filha deu a luz à Moabe, a descendência dos Moabitas.

Já a segunda filha deu a luz à Ben Ami (Amon), a descendência dos Amonitas.

Como Ló morreu?

Ao lermos a história de Ló na Bíblia não encontramos nenhum relato sobre como Ló morreu.

Todavia, uma outra pergunta que fazemos é: Ló foi salvo?

Para esta questão, podemos encontrar algo na Bíblia, no Novo Testamento, que nos dá luz para questão.

Como disse anteriormente, o Apóstolo Pedro fala sobre Ló. Pedro chama Ló de “justo”. (2 Pe 2:7-8)

Neste momento, pensamos: Ló foi salvo, mesmo diante de tudo que fez de errado? Como Ló pode ser chamado de justo?

A resposta é a mesma pela qual nós também somos salvos, também cometemos muitos pecados, mas assim, como Ló fomos declarados justos.

Deus nos ama, apesar de nós.

A salvação não é por nossas obras, mas é mediante a fé. Abraão creu e isto lhe foi imputado por Justiça (Gn 15:6; Rm 4:3)

Pelo que Pedro nos diz, Ló era um homem de fé, justo e que se afligia com a maldade que via em Sodoma e Gomorra.

Então, concluímos, que apesar de tudo, Ló era um homem temente a Deus. Ele também cria no Deus de Abraão e era participante da promessa.

O que aprendemos com Ló?

Aprendemos, dentre outras coisas, que nossas escolhas não devem ser influenciadas por nosso ego.

Não devemos fazer escolhas baseados na possibilidade de levar vantagem sobre os outros.

Quando Ló e suas filhas se estabilizaram em Sodoma e Gomorra, na cidade do pecado, erraram.

Decidiram, deste modo, trilhar um caminho com um alto preço, apenas pelos luxos e benefícios geográficos da região.

Se Ló não tivesse escolhido de forma tão egoísta para onde ir, coisas ruins que se sucederam com sua família não teriam ocorrido, tais como:

  • Ser cativeiro dos reis da Mesopotâmia.
  • Ter sua mulher morta na fuga da destruição da cidade.
  • Ter de morar em uma caverna isolada.
  • Suas filhas não teriam praticado relação sexual com o pai.
  • Não haveria mais duas nações inimigas de Israel

Isso nos mostra sobre como nossas decisões podem impactar toda nossa vida.

Cada mínima escolha produz uma consequência e reações que afeta a nós e as pessoas ao nosso redor.

Ló foi um homem justo, contudo foi um homem que não entregou na mãos do Senhor a confiança necessária para suas decisões.

Aprendemos com isso e podemos concluir

Há uma forte importância em estar atento as nossas decisões, pois podem gerar frutos bons e duradouros ou uma colheita amarga e indesejável.

Importante notar que se Ló tivesse dado atenção, e consultado a Deus sobre que caminho deveria seguir, talvez não tivesse ido a Sodoma.

Aprendemos com a história de Ló, ainda que de forma negativa, como é importante confiar nas mãos do Senhor as nossas ações, pois Ele sempre saberá o que é melhor para nós.

Que as nossas más escolhas sempre poderão gerar consequências, e  assim marcar a nossa existência e a nossa geração de forma desastrosa.

Fonte: https://materiasdeteologia.com

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: