ROMERO – "O Peregrino"

"Somos peregrinos neste mundo"

O Deus vivo x deuses do Egito: as 10 pragas

Provavelmente, muitos de nós estamos familiarizados com os fundamentos da história do êxodo de Israel da escravidão no Egito. Para resumir brevemente, os israelitas migraram para o Egito no tempo de José, dezessete anos antes da morte do patriarca Jacó, a quem Deus havia mudado o nome para Israel.

A princípio, eles desfrutaram do favor dos egípcios por causa de tudo o que José fez como vizir [alto funcionário] ou primeiro-ministro do faraó. Mas com o passar dos anos, esse relacionamento mudou. Os egípcios começaram a ver os israelitas como uma ameaça.

Com o tempo, um novo faraó chegou ao poder e escravizou os israelitas. A situação ficou tão ruim que os egípcios começaram a matar bebês hebreus do sexo masculino para impedir que os israelitas excedessem em número os egípcios.

Durante esse tempo, Deus levantou um libertador chamado Moisés.

Em Êxodo 7:1-5 Deus disse a Moisés que faria três coisas:

1. Tiraria os israelitas do Egito,
2. Faria isso “com grandes manifestações de julgamento” e
3. Mostraria aos egípcios que Ele é SENHOR — o verdadeiro Deus.

A cultura egípcia era muito idólatra e tinha uma multidão de deuses e deusas. Muitos destes assumiam a forma de animais, então os egípcios consideravam sagrados touros, vacas, carneiros, gatos, crocodilos, cobras, sapos e vários insetos e pássaros. Observe algumas dessas criaturas nas representações das divindades egípcias que acompanham este artigo.

Então, vamos analisar cada praga e, em seguida, ver contra quais deuses ou deusas que o verdadeiro Deus estava julgando. Veremos o que o Deus verdadeiro fez para ensinar uma lição aos egípcios e aos israelitas.

Veja baixo alguns deuses do Egito Antigo:
Ámon – O oculto
Mut – A deusa mãe
Osíris – O deus da vida
Seth – O deus do caos
Ísis – A deusa da ressurreição
Hórus – O deus da vingança
Thoth – O deus do conhecimento e sabedoria
Sekhmeth – Reflete o aspecto destrutivo do Sol
Bastet – Deusa da fertilidade
Anúbis – Filho de Osíris e Nephthys
Hathor – Deusa guardiã as mulheres
Rá-Atum – Responsável pela criação do mundo

A primeira praga: As águas  em sangue (Êxodo 7:14-25)

Hapi – deus fonte do rio Nilo

A primeira praga foi dirigida contra o rio Nilo, a vida e o coração do Egito. O Egito era um país desértico e sua economia e sustento dependia do Nilo. Suas plantações eram irrigadas pelo Nilo e os campos dependiam de solo fértil irrigado pelo rio. O Nilo também era a principal “estrada” para o país — grande parte do comércio do Egito dependia dele.

A segunda praga: Rãs (Êxodo 8:1-3)

deusa Heqet, deusa do nascimento

As rãs eram consideradas uma manifestação da deusa Heqet, deusa do nascimento e esposa do criador do mundo. Heqet era representada com a cabeça de um sapo e o corpo de uma mulher. Além disso, a corte de Hapi, mencionado acima, incluía deuses crocodilos e deusas rãs.

A terceira praga: Piolhos (Êxodo 8:1-3)

Geb, o deus da terra

Qual deus do Egito estava sendo julgado agora? Provavelmente, esta praga era dirigida a Geb, o deus da terra. Os egípcios davam oferendas a Geb pela generosidade da terra — mas, neste caso, em vez de a terra produzir colheitas, frutas e legumes, ela estava provocando coceiras e gerando terríveis piolhos. E isso mostrou-lhes a impotência de seu deus Geb!

A quarta praga: Enxames (Êxodo 8:21-27)

deus Khepri

Aqui, a palavra “moscas” foi adicionada por tradutores, pois não está no hebraico original, que simplesmente usa a palavra “enxames” em referência a insetos voadores.

Na verdade, estes eram escaravelhos  ou besouro-do-esterco — insetos que se alimentam de estrume! Os escaravelhos também podem ser muito destrutivos. Ele está associado ao deus egípcio do movimento do Sol, da criação e do renascimento, Khepri, simbolizando ressurreição e nova vida. Inclusive o nome Khepri significa “vir a existir”, “início, começo da existência”.

A quinta praga: A peste dos animais (Êxodo 8:1-3)

Ptah, o deus da criação

O gado no Egito não era apenas muito valorizado, eles também eram considerados sagrados. Os egípcios adoravam muitos animais e, entre eles, os touros e as novilhas. Ptah, o deus da criação, representado pelo touro vivo Ápis como a renovação da vida por meio de Ptah.

O touro Ápis era muito sagrado e, quando morria, os egípcios choraram como se tivessem perdido um faraó. Após sua morte, o touro Ápis era embalsamado e colocado em um túmulo como um faraó.

A sexta praga: Úlceras (Êxodo 9:8-11)

Nefertem, deus da cura

Essa praga seria uma afronta aos deuses egípcios da cura. Um deles, mencionado anteriormente, era Imhotep, deus da medicina. Outro era Thoth, representado por um homem com cabeça de íbis, o deus da inteligência e da ciência médica. Outra era Nefertem, deus da cura. E havia Isis, outra figura da tríade egípcia e esposa de Osíris.

A sétima praga: Chuva de granizo (Êxodo 9:22-25)

Hator era a deusa da fertilidade

Essa praga foi outro ataque devastador ao país.  A praga dos animais matou grande parte do rebanho de gado, e os animais que ainda estavam no campo, no momento da tempestade de granizo, foram mortos pela saraiva, de modo que os egípcios perderam muitas de suas fontes de carne e leite. Ademais, as várias divindades de vaca, como a deusa Hator, mencionadas anteriormente, nada puderam fazer.

A oitava praga: Gafanhotos (Êxodo 10:12-15)

Anúbis, o guardião dos campos

Novamente, como nas pragas antecedentes, os deuses do Egito ficaram em silêncio. Você deveria estar se perguntando o que seus adoradores pensaram quando viram aquela devastação. Onde estava Anúbis, o guardião dos campos com cabeça de chacal? E, mais uma vez, e o que dizer de Osíris, o principal deus da agricultura? Novamente, ele, Ísis, Seth e Neper foram todos desafiados — assim como Shu, deus do ar, e Amun, deus do vento.

A nona praga: Trevas (Êxodo 10:21-23)

Rá, o Deus do Sol

E Moisés estendeu a sua mão para o céu, e houve trevas espessas em toda a terra do Egito por três dias. Não viu um ao outro, e ninguém se levantou do seu lugar por três dias; mas todos os filhos de Israel tinham luz em suas habitações”.

Rá, o Deus do Sol era representado comumente pelo o sol do meio-dia e possuía o obelisco, esse deus na pode fazer para desfazer densas trevas que pairava sobre o Egito.

A décima praga: A morte dos primogênitos (Êxodo 11:4-6)

Osíris – o deus da vida e da morte

A décima praga foi muito seletiva. Ela aniquilou os primogênitos dos egípcios, tanto humanos como animais.  .

Por que o primogênito? Deus considerava Israel Seu primogênito entre as nações e advertiu ao Egito sobre esse castigo (Êxodo 4:22-23).  Além disso, naquele tempo e cultura, o primogênito recebia a maior parte da herança de um pai. Geralmente, os primogênitos se tornavam a elite dominante do país.

Na civilização egípcia, os faraós eram considerados deuses vivos. Os egípcios acreditavam que estes governantes eram filhos diretos do deus Osíris, portanto agiam como intermediários entre os deuses e a população egípcia.

O julgamento de Faraó e seu exército (Êxodo 14: 27-31)

Faraó – no hebraico: “casa elevada”

O verdadeiro Deus venceu e os deuses do Egito sucumbiram. Mas, por quê? Na verdade, esses deuses falsos não existem e os falsos deuses que enganam as pessoas, que creem que eles existem, não são páreo para o Deus da Bíblia!

As lições importantes para nós (1 Cor 10:11)

Então, que lições que devemos aprender com esses eventos e como aplicá-las em nossas vidas hoje em dia?

1. Precisamos entender que Deus leva o pecado muito a sério. A severidade das pragas no Egito mostra como Deus levou muito a sério os pecados deles. Contudo, não é apenas o pecado dos egípcios que Deus abomina. Ele odeia qualquer pecado.

Nunca devemos subestimar o pecado em nossas vidas. Qualquer pecado é sério e, se não nos arrependermos, isso acarretará em morte eterna.

2. Deus é paciente e tem nos dado tempo para nos arrependermos, mas Sua paciência tem limites. E Ele costuma sempre avisar, como fez repetidamente com os egípcios. Mas sua paciência acabará se esgotando. E o que vem a seguir é o temível julgamento de Deus.

Devemos voltar para Seu caminho e nos arrepender antes que isso aconteça!

3. Muitas pessoas “se voltam para Deus” em momentos de adversidades, mas, quando as coisas melhoram, quase imediatamente se afastam de novo. Seus corações estão endurecidos novamente. Podemos nos perguntar como faraó pôde ter sido tão cego e estúpido a ponto de endurecer seu coração tantas vezes. Mas o caso de faraó não era tão incomum.

Quando havia muita pressão, ele cedia dizendo que deixaria os israelitas partirem. Mas assim que a pressão diminuía, novamente, seu coração se endurecia.

4. Deus está tentando chamar nossa atenção, mas será que estamos ouvindo? Lembre-se que os israelitas foram vítimas das três primeiras pragas junto com os egípcios. Deus teve que sacudi-los e chamar a atenção deles para que pudessem começar a separar-se do mundo para tornar-se sua nação escolhida.

5. Deus requer obediência e não apenas crença. Como os israelitas foram poupados da mortandade dos primogênitos? Através da fé ativa. Eles tiveram que agir. Eles tiveram que fazer alguma coisa. Eles tiveram que colocar o sangue do cordeiro pascal nos umbrais da porta.

6. Quais são seus deuses?  Um deus falso é qualquer coisa que se interponha entre você e o único Deus verdadeiro.  Algum hobby? Algum esporte? Entretenimento? Somente você pode responder isso. Lembre-se apenas que em algum momento todas essas coisas vão desaparecer e serão nada, como aconteceu com os egípcios, então ali estará você como responsável por dedicar sua vida ao Seu Criador.

7. Nosso Deus Todo-Poderoso tem absoluto controle sobre tudo. Vimos isso ao longo dos eventos das pragas. Deus controlou todos os aspectos para realizar Seu propósito de libertar Seu povo da escravidão e do pecado e para fazer deles uma nova nação.

Não deixe que absolutamente nada atrapalhe a relação entre você e o verdadeiro Deus para que Ele possa realizar Sua vontade em sua vida.

Fontes: https://portugues.ucg.org;

https://www.bibliaonline.com.br;

Elaborado: Pastor Antonio Romero

 

Assine para receber mais Posts

%d blogueiros gostam disto: